PCP Informa: Aliança PS, PSD e CDS chumbam orçamento municipal. Juntos impedem apoios, investimento e desenvolvimento do concelho de Évora

Criado em segunda, 10 dezembro 2018, 10:22
pcp.jpg
PCP Informa:
 
 
Aliança PS, PSD e CDS chumbam orçamento municipal
 
Juntos impedem apoios, investimento e desenvolvimento do concelho de Évora
 
 
 
Na Assembleia Municipal de Évora, a 7/12/2018, o PS juntou-se a PSD e CDS – reabilitando a “troika” interna de má memória para os portugueses e para os eborenses –  e votaram contra a proposta de Opções do Plano e Orçamento Municipal para 2019, que assim não foi aprovada.
 
PS, PSD e CDS querem paralisar a actividade da Câmara Municipal, pondo em risco milhões de euros de investimentos estruturantes decisivos e projectos determinantes para melhorar as condições e qualidade de vida das populações e prosseguir a retoma do desenvolvimento que Évora vem registando, desde há 5 anos, com a nova gestão da CDU.
 
 
 
 
1.       A descomunal herança da gestão municipal do PS
 
Recorda-se que, em 12 anos (2002-2013) de gestão, o PS levou o Município de Évora à falência técnica com uma dívida de € 95 milhões de euros, um prazo médio de pagamento a fornecedores de 867 dias, um excesso de endividamento de € 32,6 milhões de euros, um desequilíbrio orçamental de € 16 milhões de euros negativos, resultados operacionais negativos de € 11,6 milhões e resultados líquidos negativos de € 12,7 milhões.  Recorda-se que o PS deixou a Câmara Municipal falida, desorganizada, descredibilizada e deixou o concelho e a cidade de Évora em declínio e em regressão económica, social e cultural.
 
2.       O inegável esforço da CDU desde 2013 na reversão da desastrosa situação herdada da gestão municipal PS
 
 A partir do final de 2013, a gestão CDU rompeu com a desastrosa política municipal do PS e iniciou um novo ciclo, novas políticas e a recuperação do Município, do concelho e cidade de Évora. A dívida foi reduzida em mais de 20%, deixou de haver pagamentos em atraso, o prazo médio de pagamento é inferior a 80 dias, o excesso de endividamento foi reduzido em € 25 milhões de euros, foi garantido o equilíbrio orçamental, os resultados negativos foram reduzidos em mais de 84%. A Câmara Municipal recuperou da falência, tem vindo a ser reorganizada e orientada para o serviço público, valorizou e repôs direitos aos trabalhadores, ganhou credibilidade e prestígio. Évora inverteu o trajecto de declínio e regressão e está a crescer e a desenvolver-se como é visível, por exemplo, com revitalização do Centro Histórico ou a dinâmica económica com novos investimentos e novas empresas, com o crescimento do turismo, com a criação de mais de 1000 postos de trabalho, com a instalação de novas famílias.
 
3.       As Opções do Plano da Gestão CDU que o PS/PSD/CDS rejeitam para a Câmara Municipal de Évora
 
Fruto dessa recuperação, as Opções do Plano e Orçamento para 2019 querem atingir um nível superior na actividade municipal com um vasto conjunto de programas e acções de que destacamos:
 
·         A candidatura de Évora a Capital Europeia de Cultura em 2027;
 
·         Investimentos estruturantes essenciais:
 
o   Revitalização do Centro Histórico (€ 9.5 milhões de euros) como a recuperação do Salão Central, do Palácio D. Manuel ou do Teatro Garcia de Resende e envolvente;
 
o   Escolas (€ 1 milhão) como S. Mamede, Almeirim, Manuel Ferreira Patrício e escolas nas freguesias rurais;
 
o   Mobilidade (€ 1 milhão) como a rede viária ou a ligação pedonal e ciclável entre o CH e a zona Norte da cidade;
 
o   Candidaturas para apoios sociais como os Centros de Convívio para reformados na Horta das Figueiras, em S. Miguel de Machede, no Bairro de Stº António ou na Malagueira;
 
·         Apoio aos Bombeiros Voluntários de Évora;
 
·         Programas dirigidos às associações sem fins lucrativos na área da cultura, do desporto ou da acção social;
 
·         Descentralização para todas as Freguesias.
 
4.       As propostas dos documentos agora rejeitados foram construídos num amplo processo participado
 
Na elaboração da proposta de Opções do Plano e Orçamento Municipal para 2019 as forças políticas representadas na Assembleia Municipal foram ouvidas e convidadas a apresentar propostas. Todas as forças políticas apresentaram propostas e, em geral, foram incorporadas nos documentos.
 
O PS apresentou 6 propostas. O Presidente da Câmara procedeu a uma análise de cada proposta e informou, por escrito, a forma como todas as propostas seriam incluídas nas Opções do Plano e Orçamento para 2019.
 
5.       Votações diferentes do PS para os mesmos documentos: - Porquê?
 
A proposta de Opções do Plano e Orçamento para 2019 foi aprovada na Câmara Municipal, a 30/10/18, com os votos da CDU, a abstenção do PS e o voto contra do PSD. Entre a reunião da Câmara, a 30/10, e a reunião da Assembleia, a 7/12, o PS não tomou qualquer diligência sobre os documentos propostos.
 
A alteração da posição e do voto do PS, acompanhando PSD e CDS, para além da incoerência e irresponsabilidade política, só pode ser entendida como procurando impedir um vasto conjunto de investimentos e acções que a gestão CDU quer implementar em 2019, algumas das quais foram promessas do PS que as Câmaras PS nunca concretizaram.
 
6.       A CDU tudo fará para evitar a paralisação da Câmara Municipal pretendida pelo PS CDS e PSD
 
Às associações, às instituições, às populações que vêem postas em causa a concretização de investimentos, de apoios, de projectos, de acções, de aspirações e de direitos pela junção dos votos contra de PS, PSD e CDS, a CDU garante, que em conjunto com os eborenses tudo fará para ultrapassar esta tentativa de paralisação da Câmara Municipal e para assegurar que a recuperação de Évora não volta atrás.
 
 
                                Évora, 08 de Dezembro de 2018 

Temos 82 visitantes e sem membros em linha

Copyright © 2019 Organização Regional de Évora do PCP. Todos os direitos reservados.
Joomla! software livre. Licença GNU GPL.
Monday the 25th. Joomla Templates Free. Organização Regional de Évora do PCP
Copyright 2012

©

joomla visitors